Home Destaque ORGANISMOS DA CNBB NO COMBATE AO TRÁFICO DE PESSOAS

ORGANISMOS DA CNBB NO COMBATE AO TRÁFICO DE PESSOAS

Dia Mundial de Oração e Reflexão Contra o Tráfico de Pessoas.

Comissão Episcopal Pastoral Especial de Enfrentamento ao Tráfico Humano da CNBB, Organizações e movimentos promovem reflexão para o dia mundial de Enfretamento ao Tráfico Humano.

 

“Por tudo isso, uma economia sem tráfico de pessoas é uma economia corajosa – é preciso coragem. A coragem de conjugar o lucro legítimo com a promoção do emprego e de condições dignas de trabalho. Em tempos de grande crise, como o atual, essa coragem é ainda mais necessaria”.

Papa Francisco

 Há menos de cinco anos o Brasil dispõe da Lei nº 13.344 para prevenção e repressão ao tráfico interno e internacional de pessoas. Após a lei ser sancionada os avanços foram poucos e o tema ainda precisa ser debatido socialmente. Segundo o Relatório Global do (UNODC) de 2020 sobre Tráfico de Pessoas, as mulheres representam 72% das vítimas. Elas são as mais suscetíveis a exploração de trabalho precário e abusos. No Brasil, com a pandemia da Covid-19, a violência doméstica, a insegurança alimentar e o índice elevado de desemprego, contribuem para o aumento do Tráfico Humano.

Em razão do tema ser pouco discutido e até mesmo a dificuldade em reconhecer que seres humanos é uma “mercadoria” de interesses, a Comissão Episcopal Pastoral Especial para o Enfretamento ao Tráfico Humano (CEPEETH), vinculado a CNBB, em parceria com a Rede Internacional de Vida Consagrada Talitha Kum, realizarão dia 08 de fevereiro, o Dia Mundial de Oração e Reflexão Contra o Tráfico de Pessoas.

As ações serão realizadas por organizações, movimentos populares e famílias com a finalidade de alcançar as comunidades de todo o país para refletir sobre esta violência velada, como é o tráfico de pessoas. Há oito anos a data especial de reflexão é celebrada dia 08 de fevereiro, dia de Santa Josefina Bakhita, vítima do tráfico humano. Quando criança foi sequestrada, vendida e viveu em regime de escravidão até ser libertada. Carregou em seu corpo e na alma as maiores cicatrizes e dores que um ser humano pode suportar. A realidade da Santa Bakhita é semelhante à vida de milhares de mulheres, homens e crianças vítimas de uma das piores chagas da humanidade.

O tema deste ano é “A Força do Cuidado – Mulheres, Economia, Tráfico de Pessoas”.   Além da reflexão e oração, o objetivo é mobilizar durante todo o ano de 2022 a importância de conhecer, debater e enfrentar a realidade de milhares de pessoas submetidas a trabalhos análogos a escravidão e outras formas de exploração.

A reflexão do tema escolhido, surge diante a crise sanitária mundial e a dignidade humana como fator preponderante ao cuidado da casa comum (planeta), para alertar sobre a insegurança de mulheres, vítimas da vulnerabilidade socioeconômica mundial. É importante ressaltar que o tráfico de pessoas é caracterizado pelo ato, meios e objetivos em recrutar pessoas que sofrem coações, trabalham em condições análogas à escravidão e corre o risco de morrer.

Programação para dia 08 de fevereiro:

  • Vigília reflexiva sobre a temática virtuais e presencial com a participação das famílias nas comunidades, grupos coletivos e organizações do país;

SERVIÇO:

Atividade: Dia de reflexão para o dia Mundial de Enfretamento ao Tráfico Humano. Data: 08 de fevereiro de 2022

Informações e sugestões de entrevistas:

Cláudia Pereira – 11 97261 3732

claudiapereiraj@gmail.com

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

- Advertisment -

Mais Lidas